Compartilhar no WhatsApp

06/04/2018

RODOVIAS ESQUECIDAS GERA PREJUÍZO

Acidentes nas rodovias esquecidas geram gasto de R$ 426,8 milhões

Os acidentes ocorridos nas 15 piores ligações rodoviárias do país, entre os quais está incluída a BR 222 no trecho entre Miranda do Norte e Açailândia, geraram para a sociedade um custo estimado de R$ 426,8 milhões em 2017. Os números integram o estudo Rodovias Esquecidas do Brasil – Transporte Rodoviário, divulgado pela CNT (Confederação Nacional do Transporte) na última quarta-feira (28), que tem como base os resultados da série histórica da Pesquisa CNT de Rodovias entre 2004 e o ano passado.

O cálculo considera, por exemplo, os custos associados aos danos materiais, às despesas hospitalares e de resgate de vítimas e às perdas em termos de vítimas fatais.
De acordo com a PRF (Polícia Rodoviária Federal), 3.171 acidentes foram registrados em 2017, apenas nos trechos analisados pelo estudo. Desses, 59,1% registraram feridos, e 7,8% das ocorrências levaram a óbito pelo menos uma das pessoas envolvidas.
Os dados apontam ainda que a ligação Florianópolis (SC) – Lages (SC), formada pela BR-282, registrou o maior número de acidentes, somando 657 ocorrências, o que corresponde a 3,1 acidentes por quilômetro em um trecho de somente 212 km. A Pesquisa CNT de Rodovias apontou que essa ligação apresenta, ao longo do seu percurso, elevada inadequação do pavimento (82,1%), da sinalização (85,8%) e da geometria da via (96,2%).
BR-282 em Alfredo Wagner, Santa Catarina
Custo operacional – “A combinação de todos esses fatores prejudica o desempenho dos motoristas na condução dos veículos, contribuindo para a ocorrência de acidentes e, até mesmo, para intensificar a sua gravidade. As inadequações no pavimento também geram aumento do custo operacional. Isso impacta toda a sociedade, na medida em que gera uma pressão de repasse de custos ao frete, que tende a ser repassado aos consumidores”, observa o diretor-executivo da CNT, Bruno Batista.
A ligação Jataí (GO) – Piranhas (GO), composta pela BR-158, apresentou as piores condições de pavimento no estudo, o que incrementou em 65,1% o custo operacional do transportador rodoviário de cargas que utiliza o trecho. O menor adicional de custo foi registrado na ligação Porto Velho (RO) – Rio Branco (AC), totalizando 11,3%. Esta ligação é formada pela BR-364 e possui 77% do pavimento classificado como ótimo ou bom pela Pesquisa CNT de Rodovias 2017.
Postar um comentário

Ministra Cárme Lúcia afirma o caminho é Democracia

“Democracia é o único caminho”, afirma Cármen Lúcia sobre crise A presidente do Supremo Tribunal Federal, Cármen Lúcia, durante sessão em...